O regaste ugh

Tava relendo meu caderno de notas (gente coisa é outra fina) e fisguei o textículo a seguir, que escrevi no fórum da comu Literatura da Orkut.


Não posso deixar escapar a oportunidade. Os estertores da orkut vieram a calhar. Vou falar o que defacto penso da Suely.
Antes, porém, uma apresentação.
A Suely é uma dama.
Não, não lhe aplico o título algo vetusto por sua idade. Não sei a idade da Suely. Não me interessa a idade da Suely. Não sou como esses energúmenos que até ontem vinham a este antro forense fazer suas necessidades fisiológicas como se não tivessem latrina em suas digníssimas pocilgas residenciais.
Esses energúmenos que se orientam e classificam pessoas pela idade.
Estava ainda há pouco olhando a parede branca acima da tela do meu computador, matutando "Preciso escrever sobre a Suely. Que é que posso escrever sobre a Suely?"
E ponderando fui indo.
Até que tropiquei numa lembrança e desabei do estado letárgico em que entro quando me entrego a devaneios e bumba-meu-bio, digo, meu-boi. Senti os lábios e as bochechas conformados num sorrisinho satisfeito. (Adoro meus sorrisinhos satisfeitos. São raríssimos. Só ocorrem (à revelia) quando a rédea do meu superego está solta, o que só acontece uma ou duas vezes ao dia.)
Sim, povo meu. Sorria com as frases que meu cérebro ia tecendo em torno do que penso da Suely.
Que é que penso da Suely?
Bem, não tenho muito que pensar da Suely.
Pra começo de conversa, a Suely é um fake. Um fake do bem.
I mean, até certo ponto.
O prenome, pelo menos, é genuíno. O sobrenome não vem ao acaso. A Suely não precisa dar o currículo. É daquelas que se ajustam suavemente aos provérbios e ditos, fazendo o bem sem olhar a quem.
A Suely me fisgou pela cordialidade ao primeiro post.
Não sou um sujeito que se é cordial com assim sem mais nem menos. Muito au contraire. Espumo hostilidade ao primeiro contato e hostilidade atraio. Não, não foram os fóruns que me ensinaram esta autolição. O seio-o desde meus dois meses de idade.
Certa feita, nesta comu, uma loira oxigenada curitibense que fazia suruba com seus cãezinhos e flanava por aqui só pra encher meu saco me acusou de ser destituído de EMPATIA.
Assim, tu é bom mas não tem empatia.
Perguntei pra dona se estávamos participando de concurso de miss, sacumé. Adi que meu papo não era ser animador de auditório. Que tava aqui pra falar de literatura. Não, esquece, não tava aqui pra falar de literatura porra nenhuma. Tava aqui pra falar de mim. Que é a única coisa que sei fazer nesta minha vida de narciso desenxabido.
Tão vendo como tudo aponta pro mesmo ponto fulcral de inanição intelectual?
Os caras achavam que eu devia FAZER MÉDIA puta que la merda!
É o que os blogueiros por aí fazem. I'll scratch your back, you'll scratch mine. O proverbial "quem não tem sei lá o que faz nem imagino como".
De repente, a Suely.
A Suely foi assim.
Sabem essas pessoas que ocorrem uma, duas, no máximo três vezes na tua vida?
Não troco a Suely pelo salário do Neymal. E olha que o Neymal fatura CINCO MI POR MÊS.
Suely, perdoe a piadinha cretina -- não resisti. Precisava atacar o cretininho de alguma forma.
Vocês conhecem o Roberto Piva?
Claro que não.
Esta é uma comunidade literária em que os membros dizem que Machado é uma merda.
Agora há pouco tava lendo o Roberto Piva e uma hora lá o cara tasca o seguinte: (Sorry, citação literária à frente.)
"Nada mais provinciano do que os clubinhos fechados da poesia brasileira, com seus autores-burocratas tentando restaurar a Ordem & cagando Regras que o futurismo, dadaísmo, surrealismo & modernismo já se encarregaram de destruir. (...) A poesia é um salto no escuro como o amor. Por isso, MEUS LEITORES PREFERIDOS são os heréticos de todas as escolas & os transgressores de todas as leis morais & sociais."
Vejam que MEUS LEITORES PREFERIDOS está em letrona grande. Como dizem por aí, grifo meu.
Lembram daqueles tópicos bobocas em que perguntavam como retardados "Qual é seu escritor preferido?"?
Voltem à citação. Vejam lá, MEUS LEITORES PREFERIDOS.
Piva tinha seus leitores preferidos.
Só um poeta que é defacto poeta pode se dar o luxo de ter leitores preferidos. A nenhum membro semiereto da comu literatura jamais ocorreria perguntar QUAL É SEU LEITOR PREFERIDO? pois os membros semieretos da comu literatura acham, ainda acham, sempre acharam, sempre acharão que escrever é concurso de miss.
Qual Piva, também tenho leitores preferidos.
Qual meus escritores preferidos, são poucos, são raros.
Dos meus leitores preferidos, a Suely é minha leitora preferida.