Tonietti V

Toni, não vá me dizer que foi curtir a tal de virada cultural, que não tem nada de virada e muito menos de cultural. A senhorita não acha que tem muito de simples consumismo esse tipo de subcultura, que não acrescenta coisa nenhuma a quem a consome? Peço que não fique braba com minhas palavras, acontece que tô enfiado numa boca de bueiro tentando me proteger dos perigos da noite e daqui desta minha perspectiva o mundo não me parece dos mais alvissareiros. Sinto muito. Prometo que amanhã mostrar-me-ei mais álacre e agradecido. Pelo quê? Por estar vivo. Por ainda poder guardar más lembranças boas neste bueiro lotado de ratazanas e baratas. Quer saber uma das minhas más lembranças boas? Uma das melhores piores é da minha amena ex-dona me coçando o lombo. Sei lá, ela como que tinha um dom meio que divino, entende? Bastava eu sentir uma coceirinha, lá vinha a donzela com sua mãozinha de fada e me roçava bem ali, com precisão milimétrica e eu me espichava no meu espinhaço e gemia baixinho uif uif uif e botava meu linguarão de fora sem nem me importar com a cara obscena que devia fazer, uif uif uif, e assim o tempo ia passando até que de repente levei aquele pezão no traseiro de que lhe falei ontem e cá estou nesta negra noite de domingo, o mais atônito dos cãezinhos que já se semearam neste maldito planeta, caim, uif, fiu fui...