Memórias do cárcere químico XI

Noite adentro vai o ventilador
A soprar no meio do escuro
Lamuriando mágoas
Evocando infortúnios
Disparando latidos
Compondo a cantiga
Na noite inimiga