Am Ende

Allegro?

Gente, olha, estou tão desacorçoado, que resolvi deixar o aramaico de lado e proferir esta sentença no idioleto vagabundo atualmente em uso no berção.
Seguinte:
Cansei. Cansei de ver Meu Nome enxovalhado, Minha Identidade continuamente questionada, Minha Existência tão hereticamente colocada sob suspeição.
Resolvi intervir, pôr um fim na pouca-vergonha. Não ralei seis dias fazendo o mundo para que serzinhos petulantes fiquem duvidando do Meu Caráter.
Tendo em vista o retrorreferido, determino, neste ato, a suspensão imediata deste monturo putrefato maliciosamente denominado blogue. A dita suspensão permanecerá em vigor por tempo indeterminado, só transitando em julgado se e quando o safado do autor retirar cada uma das aleivosias que tem assacado contra Meu Santo Nome. E, claro, depois de pagar a devida penitência indo três vezes/mês, pelo período de um decênio, à Basílica de Aparecida, em cujo confessionário deverá relatar — detalhadamente, diga-se — o conteúdo de sua alma degenerada ao padre Marcelo elo elo.
Amém.
a) Deus. (Eu existo, porra!)